É namoro e santidade?

Decidi escrever sobre assunto há alguns dias, me lembrando das dificuldades que tive na adolescência, por ter crescido dentro da igreja, ouvindo sobre como fazer as coisas do jeito certo e ao mesmo tempo ter sido exposta a tanta promiscuidade, apelo da mídia, conversas na escola e faculdade, padronização do estereótipo feminino etc. Tenho certeza que não só eu mas muitas pessoas que conseguiram chegar ‘são e salvos’ ao casamento passaram por inúmeras dificuldades relativas ao sexo. O outro motivo desse texto são os solteiros-namorados-noivos que temos acompanhado, aconselhado, a distância ou não, observado e intercedido.  

Esses dias estava ouvindo um podcast no site irmãos.com com o criador do movimento “Eu escolhi esperar”, Nelson Júnior [escute aqui] e ele comentou sobre uma pesquisa feita pelo Bepec ( Bureau de Estatística e Pesquisa Cristã) que traçou o perfil do comportamento sexual do jovem brasileiro evangélico [veja aqui] . Dentre os jovens de 16 a 24 anos, solteiros e evangélicos, mais de 60% já tiveram experiências sexuais antes do casamento, sendo que , desse total 54% teve essa relação depois da conversão ao Evangelho! Você vai achar os outros dados ‘assustadores’, principalmente se você é líder de jovens na sua igreja. Apesar desses números, dá pra gente se alegrar com os 40%, 4 dentre 10 jovens, remanescentes que decidiram esperar o tempo certo para as coisas. Pode ser culpa da cultura? Da igreja que sempre tratou esse assunto com tornando-o um tabu? Dos jovens que sabem dos princípios de Deus, mas não cumprem? Há diversas opiniões.

Comecemos pelo entendimento que o sexo é de Deus. Foi Ele mesmo quem criou, não apenas para a procriação, mas para o prazer do homem e da mulher, dentro do casamento.  Se você tem desejo por alguém do sexo oposto isso é um bom sinal de que está tudo bem com sua sexualidade. Porém é necessário que a gente aprenda a lidar com esse desejo para que a intimidade com a pessoa certa, seja descoberta na hora certa, evitando feridas, desapontamentos, marcas e mágoas para toda a vida, cultivando assim um relacionamento de respeito com o namorado (a) e de temor a Deus. A saúde na sexualidade do jovem cristão não pode ser deixada de lado, mas tratada. Três meses de banco e disciplina não resolvem esse tabu na cabeça das pessoas! Apesar dos 60% serem um número considerável, você não pode pensar que as coisas são assim mesmo. Deus espera que entendamos o que Ele quer de nós, afinal de contas a sexualidade é apenas uma das várias áreas da nossa vida em que Deus quer trabalhar!

Fazer parte dessa estatística não deve trazer sentimento de alívio, mas de reflexão.  Tenho tido várias conversas com jovens que relatam o começo do namoro regado à santidade, mas que regrediram da leitura de livros e da bíblia para momentos de invasão íntima, constrangimento e sentimento de culpa, tenho visto fotos no facebook, instagram etc. de meninos e meninas que ainda não têm ‘pêlo no suvaco’ já com seus ficantes e rolinhos visando o entrosamento na galera da escola. Tenho visto também jovens que ministram à Igreja de Jesus, atolados até o pescoço no pecado da prostituição usando uma máscara da fé encobrindo o convencimento do pecado, mas não têm o arrependimento genuíno.

Diante dessa realidade da existência da sexualidade em qualquer ser humano normal, quero listar 5 passos para se cultivar um período de conhecimento agradável e santo de duas pessoas perante Deus:

Vai namorar? Com que objetivo?

“Mas o nobre projeta coisas nobres e na sua nobreza perseverará” (Isaías. 32:8)

Ouvi uma frase do Pr. Lucinho em um dos seus vídeos no youtube que diz tudo: “Quem não é plenamente solteiro nunca será plenamente casado”. Vejo muita gente pedindo a Deus desesperadamente que mande logo a sua benção. Não esteja ansioso por isso. Viva intensamente, busque os planos de Deus pra você, jogue bola com seus amigos, corte o cabelo como você quiser, vá ao cinema, vá a igreja, cultive amizades!! Tudo tem um tempo pra acontecer.

Namoro não deve ser fuga pra carência: nunca se envolva com alguém porque está se sentindo sozinho, mesmo que você sinta falta de afeto desde a infância por parte dos pais ou tenha saído machucado do último relacionamento. Namoro não deve ser pra impressionar com o seu status no facebook. Namoro não deve ser um meio evangelístico: Não existe namoro missionário. Namoro não deve ser um meio para se começar a amizade entre o casal. Preste bem atenção nisso: o período de namoro deve ser a continuação de uma amizade que nasceu lá atrás. No namoro você já conhece a pessoa bem, já sabe como ela é no meio da sua família, com os amigos, e vai descobrindo os seus pontos fracos e fortes com o passar do tempo. Nada de namorar porque o outro é ‘bonitinho’ pra daí então resolver conhecer a pessoa. O namoro é um start para o próximo passo chamado casamento. São duas pessoas com chamados, propósitos diferentes mas que se encaixam. Pense nisso antes de querer namorar pra namorar.

Peça a Deus que te ajuda a projetar o seu futuro.

 

Quais são os seus princípios?

“Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras, e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha; e desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e não caiu, porque estava edificada sobre a rocha.” Mateus 7:24-25

Princípios são bases, alicerces. Devemos determinar o que sustenta nossa vida, nossa forma de pensar e ser capaz de defendê-la com unhas e dentes. Uma pessoa que sabe o que quer na área sexual tem mais força pra ficar de pé quando vem a tempestade. Um jovem crente que decidiu esperar o tempo certo, estiver conectado com Deus e tiver sua Palavra no seu coração tem algumas chances a menos de cair em pecado.

Nunca troque seus momentos de devocional por momentos com o namorado(a). Sempre priorize a vontade de Deus e sua Palavra. Não negocie com o pecado. Se o outro te pedir a famosa ‘prova de amor’, aponte o dedo na cara dele e diga que isso vai contra seus princípios. Temos hoje nas nossas igrejas jovens sem identidade, mais ou menos formados pelo mundo, mais ou menos pela Bíblia. São capazes de compartilhar fotos com revoltas contra a corrupção nas redes sociais mas não são capazes de olhar para si mesmos no espelho e encontrar algo de errado! Seja sincero consigo mesmo. Escreva em um pedaço de papel os seus princípios e cole-o num lugar bem visível, onde você possa se lembrar todos os dias deles. São exemplos de princípios cristãos: amar a Deus sobre tudo, santidade, fidelidade, domínio próprio, respeito, sinceridade…desenvolva sua maturidade.   

 

Tenha conselheiros

Não havendo sábios conselhos, o povo cai, mas na multidão de conselhos há segurança. 
Provérbios 11:14

Temos visto a proliferação do termo ‘discipulado’. Vejo como um grande passo que a igreja tem dado nesses dias. O propósito de Jesus sempre foi o de fazermos discípulos e não o de ajuntar multidões soltas dentro de um templo. Um jovem cristão deve ter a segurança e liberdade de conversar com seus líderes na igreja sobre tudo o que precisar, mas hoje, alguns se satisfazem com o Google. Uma das melhores épocas do meu tempo de namoro com o Junim foi quando procuramos um casal de amigos pastores pra conversarmos sobre algumas coisas relacionadas à sexualidade no nosso namoro. Lembro de cada conselho que nos deram naquele dia! Como foi edificante aquele conversa!

Todos devemos ter mentores, pessoas que já passaram pelo que estamos passando, líderes em quem podemos confiar, tementes a Deus, com quem podemos procurar ter uma amizade ao ponto de confessarmos as tentações, pecados, conversar sobre tudo, inclusive sobre o sexo. O casal de namorados que é acompanhado por seus líderes, discipuladores e pastores tem maior chance de dar certo do que aquele que vive como quer e aos trancos e barrancos entra em um casamento.

Procure fazer parte de algum ministério, de células, se envolva com as pessoas as igreja. Cuidado com a auto-exclusão! Algumas pessoas se afastam de todos quando começam a namorar e isso não é saudável. Seja útil na sua igreja, ocupe sua cabeça com coisas que vão te dar frutos no futuro.

 

 Só mexa naquilo que é seu

Se você encontrar no banheiro de um shopping uma bolsa ou uma carteira cheia de dinheiro aparentemente esquecida pelo dono, o que você, uma pessoa cristã e com princípios faria?? Espero ter respondido que procuraria o dono. E por que devolveria? Porque aquilo NÃO é seu!

Simples assim. O seu namorado, gatinha, não é SEU. Bonitão, sua namorada, não é SUA. Enquanto não se cumpre o casamento essa pessoa pertence a Deus. Você não pertence à outra pessoa, mesmo que ‘esteja horrores’ de apaixonado (a).  

Toda a intimidade que um casal pode ter e o prazer que existe nesse ato é lícito, é bom, é de Deus, mas somente quando há a plenitude do matrimônio e a consciência de que ambos se pertencem. Se você toca nas partes íntimas do outro ou o provoca, tentando-o você está fraudando algo que não é seu!

Olha o que Paulo diz sobre isso pra nós:

“A mulher não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim o marido. Da mesma forma, o marido não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim a mulher. “
1 Coríntios 7:4

O que passa disso é prostituição! Preste atenção: mantenha-se firme. Faça que a espera valha a pena. Vejo quão grande é a frustração de casais que se perdem no meio do caminho e depois se arrependem amargamente de não terem resistido ao pecado porque descobrem que a essência do casamento vai muito além do sexo.

 

 Não se faça de bobo, fuja!

Minha grande inspiração para falar dessa fuga é o . Ele estava lá, tranqüilo, trabalhando como lhe devia, e então a Sra. Tentação, egípcia, maquiada e cheirosa, tenta agarrá-lo. Tinha tudo pra dar certo (ou errado): o marido não estava em casa, ninguém estava vendo. Ela era linda, ele, bonitão, levando em consideração que ela não daria em cima de qualquer um. O que o Zé fez? Correu!! Teve duas sensações durante milésimos de segundos e teve que decidir entre elas. Ceder ao que sua carne estava desejando naquela hora ou correr, pra bem longe, levando consigo todas as promessas de Deus pra ele!

Esse é meu conselho. Corra. Pra bem, bem longe. Seja sincero consigo mesmo, seja sincero com o outro. Se você sabe que um beijo na nuca te leva onde você não deveria ir, fale pra quem está com você, e aprenda a respeitar, também o limite do outro. Se você sabe que ficar no carro na porta da sua casa quando ele vai fazer a gentileza de te deixar lá é furada, não dê nem beijinho de boa noite, saia correndo do carro. Há dias em que nós mulheres ficamos mais sensíveis a tudo. No dia que você sentir que está assim, diga pra ele passar longe de sua casa! Não fique sozinho na sala da sua casa com o outro. Não veja filmes que não edificam, não leia livros, nem matérias em revistas nos salões de beleza, não entre em sites que vão te levar a pecar. Arrume uma vela pra ficar com vocês (irmão mais novo é uma ótima opção). Não coloque uma roupa que vai tentar seu namorado. Não fique sentando no colo do outro, corte a sua mão boba. Diga não!

Se o seu ‘amoreco, xuxuzinho, bebezinho, fofinho’ não sabe respeitar a sua intimidade não servirá pra ser o cabeça da sua casa e muito menos a sua auxiliadora.

Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca.                                           Mateus 26:41

Alguns justificam suas constantes quedas com a última parte do versículo ‘a carne é fraca’…mas o contexto em que está nos explica muita coisa. O nosso espírito ou coração, onde o Espírito Santo habita, está pronto. Se você mantém uma vida de oração e vigilância se torna forte pra suportar o que vier, diante dessa força sua carne está limitada.

Em Romanos 7, a partir do versículo 15, Paulo nos fala de sua constante luta: “Porque não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero, esse eu faço.” A maioria de nós se sente assim. Fica frustrado depois do pecado, se entristece. Mas Paulo continua dizendo que se ele faz isso é por causa do pecado que há na carne dele, mas dá graças a Deus pela obra de Cristo na cruz e no capítulo 8 ele finaliza dizendo que Jesus quebrou essa lei que havia sobre nós e agora podemos nos inclinar para as coisas da carne ou para as coisas de Deus. Aqueles que estão na carne não podem agradar a Deus. Diz em seguida que aqueles que são filhos de Deus são guiados por Ele e assim vivem!

Decida andar em Santidade.

Pegue esses cinco passos e aplique-os em sua vida.

Que possamos  reverter os números da pesquisa que vimos lá em cima!!!

Escolha esperar o tempo certo para todas as coisas!!

Mari Veiga

 

 

 

 

 

Anúncios

Sobre Mari Veiga

Oi! Tenho 27 anos, sou pastora evangélica, Bacharel em Teologia pelo Seminário Teológico Carisma e pela Faculdade Unida. Também sou teacher! Dou aulas de inglês e amo fazer isso! Sou casada com um cara charmosíssimo e, juntos, somos discípulos de Jesus. Moro em Palmas, no Tocantins. Se quiser falar comigo, mande e-mail para mariannaveiga@hotmail.com
Esse post foi publicado em Eu e Deus e marcado , , , . Guardar link permanente.

6 respostas para É namoro e santidade?

  1. Villas disse:

    Tem algo de errado em você e seu namorado sentar um do lado do outro no culto de mãos dadas ? Há algo na bíblia que implica sobre isso ?

    • Mari Veiga disse:

      Olá, Villas! Segundo o ponto de vista que nos interessa, a Bíblia, não há erro nisso! Na verdade algumas regras são estipuladas em algumas igreja para “ajudar” o casal na busca de santidade no relacionamento. Porém, acredito que devemos ir além do pode-não-pode. Se estou em um relacionamento com alguém preciso primeiro me preocupar em ter sempre como prioridade o meu relacionamento com Deus e com Seu Espírito, porque, assim, terei mais forças para lutar contra o que é errado. O foco muda: vou preservar meu namoro em santidade, não porque alguém pode brigar cmg, mas pq eu decidi agradar a Deus. É algo mais profundo do que as regras.
      Agora, temos tb o outro lado. Se você faz parte de uma igreja que possui alguns costumes e você está se submetendo a essa liderança, vc precisa obedecer. Se iniciou um relacionamento com essas direções, prossiga assim. E o mais importante: tenha alguém que te acompanhe de perto. Alguém que saiba dos passos do seu namoro, que ore por vocês, que aconselhe. Não sinta vergonha em expor suas fraquezas. Pastores e líderes servem tb para isso, não apenas para estipular regras! Deus abençõe!

  2. wesley disse:

    É pecado deixar a namorada sentar no meu colo a ponto de ficar “de banco”?

  3. Erlon Andrade disse:

    Os princípios e a bagagem cultural os adolescentes e jovens já trazem de casa. Nas escolas os professores tem dificuldade com alunos que já são formados nessa área, e o que dizer da Igreja?
    Em muitos momentos a igreja assume uma responsabilidade que ultrapassa os próprios limites. Disciplinar não é e nunca será a solução para as quedas do homem. Mas o exemplo individual pode fazer a diferença.
    http://www.facebook.com/#!/groups/blogueirosdobrasil5/

    • Mari Veiga disse:

      Exatamente, Erlon! Cada jovem que a gente aconselha tem uma história, criação e educação diferentes! Acredito que a igreja tem o papel de ensinar os princípios bíblicos e, muito mais do que isso, cooperar para que os jovens consigam aplicá-los em sua vida. Pensando assim, se tivermos exemplos de gente que ‘segurou a barra’ no namoro e hoje tem um casamento abençoado, facilita nesse incentivo…se alguns conseguiram, por que não todos?
      Obrigada pela visita!

O que você pensa sobre isto?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s