Sobre as fases da vida – uma reflexão pós-aborto

A gravidez, como todo mundo me avisava, me levaria a não pensar mais em mim mesma. Comecei a experimentar isso, mesmo com apenas 9 semanas. Quando tudo passou, Deus começou a me mostrar tudo por outro ângulo. Fiquei muito surpresa com o retorno que o texto teve (se não leu clique aqui!). Recebi váááários e-mails de mulheres que passaram pela mesma coisa, gente que foi curada ao ler a nossa experiência e, ao pensar nisso tudo, entendi um pouco mais sobre a vida…

Tenho uma mala onde guardo roupas que não quero usar nos próximos dias ou meses. Dentro dela estavam calças, vestidos e outros acessórios que havia comprado na última viagem e que não serviriam nas próximas 38 semanas. Quem é mulher sabe o que isso significa! Preferi tirar do alcance dos meus olhos e optar pelos vestidos soltinhos e calças mais largas.

Logo quando perdi os bebês e toda a fase passou, a primeira coisa que passou pela minha cabeça foi que eu deveria providenciar que aquelas calças voltassem a servir! Pensei também em limpar um canto aqui de casa onde sempre desejei fazer uma horta. Eu quis comer comida japonesa (o que na gravidez é proibido!), eu quis voltar a correr, quis pintar o cabelo de um jeito diferente, enfim, eu quis fazer tanta coisa, que quando estava com a barriguinha eu pensava “devia ter feito isso antes de engravidar”. Mas a gravidez era a prioridade, e eu precisaria abrir mão de coisas secundárias.

A questão é: sempre queremos algo do futuro e não usufruímos o que temos no presente. Salomão sabiamente escreveu sobre o tempo.

eclesiastes

Não quero aqui falar de idade, unicamente, mas talvez, sobre maturidade. É preciso que aprendamos a olhar e valorizar o hoje.

Estamos rodeados todos os dias de gente ansiosa, que não tem paz no coração em nenhuma situação que esteja, mesmo dizendo confiar em Deus.

Se está empregado, e passa por uma turbulência, reclama. Se está desempregado, se desespera.

Se anda a pé, reclama do sol. Se tem um carro, reclama da gasolina cara.

Se está solteiro, fica louco pra namorar. Se está namorando, e se desentende duas vezes, já acha que está com a pessoa errada e fica pensando como e onde estaria a certa.  Se recebe um conselho do pastor de esperar um pouco, pra se envolver com outra pessoa, acha que vai morrer, criar teia de aranha na boca, ou ser chamado pro celibato.

Se Deus chama pro ministério e aceita, faz biquinho pras correções. Se é só um freqüentador da igreja, acha alguma coisa pra criticar.

Se ora e Deus responde de uma forma diferente da desejada, chora e questiona. Se ora e Deus se cala, chora e questiona. Rs

Se está na faculdade reclama das provas e trabalho. Se não estuda, tem como amiga a preguiça ou se sente inferior.

Se é adolescente, que ser adulto, ter dinheiro e independência. Se é adulto quer esquecer das contas que tem que pagar.

E se não bastasse, tem gente que além de não observar as fases de sua própria vida, ainda se enfia no meio da vida dos outros.

Ai, diante de tudo isso, temos apenas uma conclusão a chegar: O quanto Deus é paciente conosco!

Somos os mestres da ansiedade! Nossa cultura traz isso consigo, e nós simplesmente abraçamos. Precisamos aprender a aprender com todas as fases e momentos das nossas vidas, sendo elas agradáveis ou não. Se assim fizermos chegaremos ao fim da vida felizes e satisfeitos, por termos vivido e aprendido tudo que deveríamos, no tempo certo, determinado pelo Senhor.

Me lembro de Paulo, em dois momentos:

Geralmente vemos por aí o versículo 13 colado em carros como uma palavra de fé. Mas poucos encaram os versículos 11 e 12. Como assim estar contente em toda e qualquer situação? Como assim desejar ter experiência em estar humilhado e exaltado? Querer experimentar a escassez e a abundância só por falar que passou por aquilo? Sim. E ainda se lembrar, que é o Senhor quem fortalece.

2

Paulo reconhece, nesse exato momento de sua vida, que ele está no meio de um processo. Deixa claro que para ele, aquilo que passou, passou! Agora ele tem olhos apenas para o alvo…

Pense no momento em que você está vivendo. Tem sido desafiador? Tem sido fácil? Tem sido angustiante? Tem sido encantador? É tempo de que? Tempo de fica sozinho? Tempo de relacionar-se? Tempo de ficar calado? Se você não procura aprender algo na fase que está vivendo e desvia a atenção pra qualquer outra coisa significa você não tem um alvo. Se seu coração está cheio de ansiedade impedindo que você enxergue o porquê desse momento, você está perdido.

Peça a Deus pra que te ensine a olhar pro hoje. Respeitar o momento da sua vida. Paulo disse: “Andemos de acordo com o que já alcançamos”. O que você já alcançou em sua vida? Em que momento você está? Quais tipos de experiência você já teve? Você está feliz, mesmo sendo um momento difícil? Aprenda a se respeitar e pare de se comparar aos outros!

Se o seu alvo é a vontade do Senhor, identifique como Ele está te ‘treinando’ pra chegar nesse lugar! Vamos valorizar mais o hoje…para que amanhã, tenhamos o que testemunhar!

bjo damariveiga

=)

Anúncios

Sobre Mari Veiga

Oi! Tenho 27 anos, sou pastora evangélica, Bacharel em Teologia pelo Seminário Teológico Carisma e pela Faculdade Unida. Também sou teacher! Dou aulas de inglês e amo fazer isso! Sou casada com um cara charmosíssimo e, juntos, somos discípulos de Jesus. Moro em Palmas, no Tocantins. Se quiser falar comigo, mande e-mail para mariannaveiga@hotmail.com
Esse post foi publicado em Devocionais, Eu e Deus e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

O que você pensa sobre isto?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s